gototop
Sobre o Governo
Sobre o Governo

Sobre o Governo (4)

Agência de Fiscalização do DF - AGEFIS

A AGEFIS promove, supervisiona, planeja e coordena as ações de fiscalização desenvolvidas pelos integrantes da Carreira de Fiscalização de Atividades Urbanas do DF.

Vá para o site


Agência Reguladora de Águas e Saneamento do DF - ADASA

No DF, a responsável pela qualidade e quantidade dos lagos, rios, riachos, canais etc. é a ADASA.

Vá para o site

 

Departamento de Estrada de Rodagem do DF – DER

O DER é responsável pela infraestrutura viária para o deslocamento de veículos, pessoas e animais, por meio da construção, conservação, operação e fiscalização das vias do Sistema de Rodovias do DF.

Vá para o site



Departamento de Trânsito do DF - DETRAN-DF

O DETRAN administra a documentação de todos os veículos e condutores da cidade. Além disso, fiscaliza o trânsito de veículos terrestres no DF.

Vá para o site



Instituto de Assistência à Saúde dos Servidores do DF - INAS

INAS - Proporciona, sem fins lucrativos, aos servidores ativos e inativos do Distrito Federal, o Plano de Assistência Suplementar à Saúde dos Servidores do DF.

Vá para o site



Instituto de Defesa do Consumidor do DF - PROCON

O PROCON é conhecido por registrar reclamações de consumo. Mas sua principal função é educar e divulgar sobre o consumo adequado de produtos e serviços.

Vá para o site



Instituto de Previdência dos Servidores do DF - IPREV

Vinculado à Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão do DF, o objetivo principal do IPREV é agilizar o procedimento de aposentadoria.

Vá para o site



Instituto do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos - IBRAM

O IBRAM propicia desenvolvimento sustentável e garante os benefícios do crescimento econômico, sem pôr em risco a qualidade de vida dos moradores do DF. Promove a conservação da flora do Cerrado, a pesquisa, a educação ambiental e o lazer orientado, contribuindo para o esforço global do desenvolvimento sustentável.

Vá para o site



Serviço de Limpeza Urbana do DF - SLU

O SLU foi uma das primeiras instituições ambientalistas criada no DF (em 1961). Hoje, atendendo quase 100% do DF, são cerca de 2.600 toneladas de resíduos sólidos domésticos e assemelhados coletados diariamente.

Vá para o site



Transporte Urbano do DF – DFTRANS

O trabalho da DFTRANS é garantir à população um transporte eficiente e seguro, fiscalizando e colocando em prática o direito de ir e vir do cidadão, com conforto e no menor tempo possível.

Vá para o site

 

Terça, 03 Abril 2012 16:05

Marca do GDF

Marca do GDF                                                                Hino                                                                

gdf

Os primeiros acordes do Hino de DF foram
compostos por Neusa França, dentro de um
ônibus, no Rio de Janeiro. E a 1a apresentação
ocorreu em maio de 1960, na inauguração do
colégio Caseb, na presença do Presidente
Juscelino Kubitscheck.





Acesse o manual da marca publicitaria do GDF


Download da Logo do GDF

Terça, 03 Abril 2012 15:34

Programas do Governo

Programas do Governo

Escolha um tema

Agricultura e Abastecimento
  • Recuperação de Estradas de Terra das Áreas Rurais

    Saiba Mais
  • Compra Direta dos Produtores de Leite

    Saiba Mais
  • Compra direta da Agricultura Familiar

    Saiba Mais
  • Campeonato Rural Futebol

    Saiba Mais
  • Encontro técnico Cultural na Área Rural

    Saiba Mais
  • Vigilância Sanitária e Epidemiológica

    Saiba Mais
Cultura, Esporte e Turismo
Educação, Ciência e Tecnologia
Habitação, Urbanismo e Meio Ambiente
Impostos
Justiça, Segurança e Cidadania
Saneamento e Energia
Saúde
  • Programa de hipertensão e diabetes

    Saiba Mais
  • Programa de Saúde Escolar

    Saiba Mais
  • Programa de Triagem Neo-Natal

    Saiba Mais
  • Programa de Educação e Controle de Diabetes

    Saiba Mais
  • Programa de Internação Domiciliar

    Saiba Mais
  • Programa de Assistência Domiciliar

    Saiba Mais
  • Programa Oxigenoterapia Domiciliar

    Saiba Mais
  • Programa Saúde da Família

    Saiba Mais
  • Programa de Planejamento Reprodutivo

    Saiba Mais
  • Programa de Prevenção de Câncer de Colo

    Saiba Mais
  • Programa de Prevenção de Câncer de Mama

    Saiba Mais
  • Programa de Saúde do Idoso

    Saiba Mais
  • Programa de Atenção Integral a Saúde do Adolescente

    Saiba Mais
  • Programa de Agentes Comunitários de Saúde

    Saiba Mais
  • Programa de Saúde Prisional

    Saiba Mais
  • Programa de Atenção a Saúde de Populações em Situação de Rua

    Saiba Mais
  • Programa de Saúde Rural

    Saiba Mais
  • Programa de Atenção a Saúde de Pessoas com Deficiência

    Saiba Mais
  • Programa do Acolhimento

    Saiba Mais
  • Programa de Saúde da Mulher

    Saiba Mais
  • Planejamento reprodutivo

    Saiba Mais
  • Atenção obstétrica

    Saiba Mais
  • Câncer de útero e de mama

    Saiba Mais
  • Atenção as mulheres e adolescentes em situação de violência doméstica

    Saiba Mais
  • Feminização da epidemia de AIDS e outras DST's

    Saiba Mais
  • Populações em contextos de vulnerabilidade

    Saiba Mais
  • Projeto de Atenção Primária para o DF com previsão de 50% de cobertura

    Saiba Mais
  • Programa de elaboração de 47 projetos para compra de equipamentos.

    Saiba Mais
  • Projeto Pró-Saúde Itapoã e Paranoá em parceria com a UnB

    Saiba Mais
  • Projeto de informatização da Atenção Básica em parceria com Nesp/UnB

    Saiba Mais
  • Programa de especialização multiprofissional

    Saiba Mais
  • Programa de implantação do sistema de atendimento de terceiro turno em Sobradinho

    Saiba Mais
  • Programa de levantamento de todo o recurso humano da atenção básica

    Saiba Mais
  • Programa de levantamento de toda a estrutura física da atenção básica

    Saiba Mais
  • Programa de envelhecimento saudável e ativo

    Saiba Mais
  • Capacitação dos profissionais do Núcleo de Atenção do Idoso

    Saiba Mais
  • Programa de prevenção na população idosa aos fatores de risco para a osteoporose

    Saiba Mais
  • Prevenção de fraturas em mulheres após a menopausa e idosos em geral

    Saiba Mais
  • Treinamento extensão e especialização

    Saiba Mais
  • Programa de elaboração de protocolos clínicos em internação domiciliar

    Saiba Mais
  • Programa de inclusão de consultórios odontológicos portáteis

    Saiba Mais
  • Programa de Atenção Integral a Saúde da Criança

    Saiba Mais
Trabalho e Desenvolvimento Social
Veículos e Transporte
Terça, 03 Abril 2012 12:54

Fatos Interessante

 

    A agenda presidencial e seus (des)encontros

    Era dia da Parada Militar no Eixão Sul e a comitiva já atrasada, ao sair do Palácio da Alvorada se deparou com dois ônibus lotados de gaúchos que haviam sidos barrados pela Guarda. Nosso presidente pediu que parasse o carro, desceu e, em meio a aplausos e aclamações da gauchada acabou por encontrar o líder da caravana, o então governador do RS, Leonel Brizola.

    - “Senhor Presidente, pensei em mostrar o Palácio aos meus companheiros de viagem, mas me parece um tanto difícil agora!”

    Juscelino, com um grande sorriso logo respondeu olhando para todos:

    - “A casa é dos senhores. Sinto não poder ficar para recebê-los. Tenho que presidir o desfile que começa agora.”

    Voltando sua atenção ao governador, perguntou:

    - “E por que não veio almoçar comigo?”

    Brizola explicou-se dizendo que havia combinado com seus companheiros de almoçarem juntos e então fizeram um grande pic-nic, em plena Praça dos Três Poderes, com as caixinhas de lanche que receberam da companhia aérea que os trouxe.

    Juscelino então o convidou a voltar à noite e despediu-se de Brizola em meio a outras incontáveis mãos querendo cumprimentá-lo. Finalmente chegou ao carro, mas poucos metros depois, nova parada. Era o arcebispo D.Vicente Scherer.

    Quantas vezes mais pararam não se contou, mas parece que já era um tanto difícil cumprir horários com rigor. Ao menos para um homem do povo.

    Ainda admirado daqui a cem anos.

    JK abordou Oscar Niemeyer (convidado para ser o grande arquiteto da nova capital) da seguinte forma:

    - “Vou lhe dar a mesma oportunidade que Júlio II proporcionou a Michelangelo, ao pedir-lhe que fizesse seu túmulo.”

    Niemeyer achou graça, mas não deixou de pensar na semelhança entre as situações. Em poucos dias o projeto estava entregue. Estaria naqueles papéis o futuro Palácio da Alvorada. Juscelino olhou, examinou e reconheceu a beleza da concepção artística, mas ainda assim disparou:

    - “O que eu quero, Niemeyer, é um palácio que, daqui a cem anos, ainda seja admirado.”

    No dia seguinte, o Presidente Juscelino Kubitschek tinha em sua mesa o projeto final que foi prontamente e integralmente aprovado. Sua construção teve início imediato e terminou em 18 meses.

    Pra japonês ver.

    Ainda no início da construção de Brasília, Israel Pinheiro, então presidente da NOVACAP a convite direto de JK, começava a pensar na necessidade de criar uma infraestrutura agrícola em torno da cidade, para fornecimento alimentar. Sendo assim, convidou uma missão japonesa a vir ao Brasil e estudar a possibilidade de um projeto agrícola na Nova Capital.

    Em um grupo extremamente organizado, chegaram os japoneses. Ouviam tudo, mas apenas um deles falava. Israel Pinheiro e o grupo saíram em uma caminhoneta pelos caminhos ainda virgens nos arredores de Brasília. Enquanto levantavam poeira vermelha em meio à vastidão do cerrado, Israel advogava em causa própria em nome de uma grande experiência agrícola.

    Foram de um lado para o outro e os japoneses nada.  Já irritado, Israel Pinheiro indagou:

    - Então, os senhores não têm nada a dizer?

    - Temos sim senhor. Terra ruim, muito ruim, né?

    - E se fosse boa eu ia chamar japonês?  Ia?!

    Primeiros aqui, primeiros daqui.

    É impossível falar da construção de Brasília sem falar de um pioneirismo que possibilitou muitas histórias do início e da construção de Brasília. Algumas verdadeiras e outras não, mas todas muito interessantes.

    Como não poderia deixar de ser, Brasília teve sua primeira escola – com algumas aulas ao ar livre, o primeiro hospital, a primeira farmácia, o primeiro hotel, o primeiro bar... Ah, o primeiro bar merece destaque. Seu nome era Bar Maracangalha e tudo o que se ouvia era: “eu vou pra Maracangalha eu vou...”

    Outro primeiro que não poderia deixar de ser falado, foi o primeiro casamento. Com uma leve brisa e pássaros cantando na manhã ensolarada do dia 17 de março de 1957, casaram-se o Sr. José Vitório da Silva e a Sr.ª Generina Maria do Santos. Talvez não tenha sido numa manhã ensolarada – afinal, março é um mês de chuva –, mas assim foi contado.

    Mas uma história que não pode mesmo ser esquecida é a do nascimento do pequeno Brasílio. Pequeno na época, pois hoje já deve ser um quarentão. Enfim, em uma noite daquelas de chuva, onde tudo o que você faz é esperar dormir e acordar no dia seguinte, uma voz gritava por um médico. E foi aquele agito, aquele corre-corre e aquela confusão toda. Aparece o médico, entra no quarto e aquele povaréu do lado de fora querendo ouvir, saber e espalhar notícia da primeira criança nascida em Brasília. Quando todos já estavam calmos e muitos nem ali estavam mais, soube-se que era um menino. E tamanha foi a festa, que Brasílio Franklin Queiroz foi batizado pelo próprio Presidente Juscelino Kubtischek.

    O primeiro parto feito aqui, o primeiro menino daqui.

    Sou candango!

    No início foi uma discussão se o termo para os nascidos em Brasília seria brasilenses ou brasilianos, mas nenhum deles caiu no gosto popular que só “o uso” poderia decretar vencedor.

    E acabou que se quem nasce no Rio é carioca, quem nasce no Espírito Santo é capixaba e quem nasce no Rio Grande do Sul é gaúcho, quem nasce em Brasília só poderia ser candango. Candango? Mas o que é isso? Palavra que veio da áfrica e indicava como os nativos se referiam aos portugueses. É uma variação de candongo, palavra do idioma Quimbundo. E fica mais complicado. Pequeno benzinho, do reino de Angola, pequeno angolês, adulação, caçoada, termo depreciativo com o qual os escravos se referiam aos lusos e sinônimo de cafucu (mistura de cafuzo, negro e mameluco). Apenas nos tempos mais próximos à construção de Brasília virou um termo generalizador para todos os emigrantes que tentavam a vida em lugares diferentesl, ou seja, pau-de-arara.

    Hoje, candango é o mesmo que herói. Assim como os pracinhas que antes eram diminuídos e hoje são donos de medalhas, os primeiros candangos tornaram possível a nova capital.

    Esses primeiros habitantes de Brasília deixaram um legado para que hoje, quem nascer aqui poder dizer com orgulho: “sou candango!”

VOCÊ ESTÁ AQUI: Início Autarquias e Agências Sobre o Governo